ASMA E OS PROBIÓTICOS – VAMOS ANALISAR?

Que tal fazermos uma viagem pelo universo entre a asma e os probióticos?

Você já deve ter se perguntado por que um dentre cada cinco amiguinhos de seus filhos precisa estar sempre com a bombinha a postos para o caso de sofrer um ataque de asma?

ASMA E OS PROBIÓTICOS

Respirar é algo fundamental, mas, não fossem os medicamentos, milhões de crianças estariam enfrentando dificuldades para não perder o fôlego.

Como os probióticos podem ajudar? Vamos tentar entender?

Então, vamos nessa!

ALGUNS DADOS SOBRE A ASMA

Na década de 1930, a asma era uma doença rara, afetando talvez uma criança em cada escola.

Posteriormente, na década de 1980, sua prevalência disparou e uma criança em cada turma era afetada. Mais ou menos na última década, o aumento se estabilizou, mas acabou deixando um quarto das crianças com asma.

ANALISANDO A ASMA

Quando a respiração está normal, você inspira ar através do nariz ou da boca. Contudo, a respiração nasal é melhor, por sinal, porque os pelo do nariz ajudam a conter alérgenos e partículas que podem causar problemas respiratórios.

O ar percorre a traqueia em direção às vias aéreas nos pulmões, chamadas de brônquios.

Em seguida, pequenos sacos aéreos no final dos brônquios liberam oxigênio para a corrente sanguínea e recolhem o dióxido de carbono, que você libera quando expira.

ASMA E OS PROBIÓTICOS

Bandas musculares se envolvem ao redor dos brônquios. Quando essas bandas musculares relaxam, o ar se move livremente. Dessa maneira, várias condições podem interferir na respiração normal.

Como podemos associar a asma e os probióticos? Como os probióticos podem estar relacionados com a saúde respiratória?

Vamos adiante?

ENTENDA O QUE ACONTECE COM A ASMA

Em um ataque de asma, três fatores principais tornam a respiração mais difícil:

  • As bandas musculares que cercam as vias aéreas se contraem, causando o estreitamento das vias aéreas. Essa reação é chamada de broncoespasmo;
  • O revestimento das vias aéreas fica inchado;
  • As células no revestimento das vias aéreas produzem mais muco, que é mais espesso do que o normal.

Os medicamentos chamados broncodilatadores reabrem as vias aéreas durante um ataque de asma e restauram o fluxo normal de entrada e saída de ar dos pulmões.

A asma geralmente se desenvolve na infância e os ataques são geralmente desencadeados por gatilhos específicos, como por alérgenos.

Sendo assim, normalmente, quando gatilho é removido, o ataque de asma cessa.

asma e os probióticos

ASMA ALÉRGICA

Cerca de 16 milhões de adultos norte-americanos e 6 milhões de crianças norte-americanas sofrem de asma. De acordo com a Academia Norte-Americana de Alergia, Asma e Imunologia, cerca da metade dessas pessoas possuem asma alérgica.

No Brasil, a asma atinge cerca de 6,4 milhões de pessoas de acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) do Ministério da Saúde e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A asma alérgica significa que os ataques são desencadeados por uma alergia, por exemplo, a esporos de fungos ou pólen. Outros desencadeadores de asma alérgica incluem ácaros, pelos de animais bem como alimentos.

ASMA E OS PROBIÓTICOS

Pessoas com asma são mais propensas a desenvolver a febre do feno (rinite alérgica). Sendo assim , cerca de um terço das pessoas com febre do feno também tem pelo menos asma alérgica moderada.

Leia também: ALERGIAS E PROBIÓTICOS – VAMOS EXPLORAR?

ASMA E OS PROBIÓTICOS – PROMOVENDO A SAÚDE RESPIRATÓRIA

Pesquisadores têm realizado alguns estudos com o objetivo de verificar se os probióticos são eficazes no tratamento ou prevenção da asma. Contudo, até o momento, a maioria desses estudos enfocou opções de tratamento, os resultados não foram muito satisfatórios.

Contudo, um estudo sobre asma identificou que crianças que receberam o probiótico Lactobacillus casei apresentaram menos episódios de febre do feno, do que o grupo controle.

Como a asma e a febre do feno caminham muitas vezes lado a lado, são necessárias mais pesquisas para verificar se linhagens específicas de probióticos conseguem tratar, avaliar ou mesmo prevenir a asma.

O QUE OS PROBIÓTICOS QUE TRABALHAM EM NOSSOS SISTEMA DIGESTÓRIO, TÊM A VER COM A NOSSA SAÚDE RESPIRATÓRIA?

Cientistas teorizam que o equilíbrio das bactérias benéficas e nocivas em nosso intestino ajuda a regular o sistema imunológico.

Como as reações alérgicas são essencialmente reações exageradas do sistema imunológico, os probióticos podem desempenhar um papel importante visando assegurar que o nosso sistema imunológico consiga distinguir verdadeiramente invasores nocivos e agentes inofensivos como o pólen.

Sendo assim, temos muito ainda para desbravar em relação a asma e os probióticos. Embora já saibamos dos benefícios de ter uma alimentação saudável para manter um equilíbrio dinâmico em nosso intestino.

ASMA E OS PROBIÓTICOS

Que tal enxergar os probióticos como alimentos e não como forma medicamentosa?

Coloque sua microbiota intestinal em primeiro lugar, o resto virá naturalmente.

VISITE NOSSO SITE E CONHEÇA NOSSOS PRODUTOS!

REFERÊNCIAS:

Probióticos para Leigos – Drº Shekhar K. Challa, 2014;

10% Humano – Alanna Collen, 2016.

RecebaNovidades

Deixe um comentário