DIFERENÇA: KEFIR E OUTROS PROBIÓTICOS

Sobre probióticos e Kefir, muitas pessoas se perguntam:

“se já existem tantos produtos probióticos no mercado, especialmente nos EUA, por que essa ‘onda’ agora do Kefir?”

A diferença entre o Kefir e os outros probióticos é muito significativa e importante.

Vamos explicar!

PROBIÓTICOS DA FARMÁCIA

Os probióticos são microrganismos que favorecem a saúde do hospedeiro. Isto se dá pelo fato de fazerem uma colonização do intestino fortalecendo ou mesmo restaurando a microbiota intestinal. Dessa forma, baseando-se nesse conceito, a indústria farmacêutica tem selecionado espécies diversas de probióticos, encapsulando-os e disponibilizando uma gama de novos produtos para o mercado. Alguns desses produtos vêm com três, quatro, cinco ou mais cepas probióticas e têm ajudado bastante na saúde da população.

O DIFERENCIAL DO KEFIR

E quanto ao Kefir?

Esse alimento probiótico usado milenarmente não é apenas uma seleção de cepas probióticas que fortalece e/ou restaura a microbiota intestinal. Ele, em primeiro lugar, tem cepas a mais do que os “probióticos de farmácia” que estão no mercado.

Além disso, suas cepas não são manipuladas pelo homem para atender a determinadas necessidades de saúde, tais como diarréias, síndrome de intestino irritável, ou outros tipos de enfermidades.

As dezenas de cepas probióticas existentes no Kefir passaram por uma seleção natural durante milênios. Isto ocorreu em algumas regiões do planeta consideradas as mais longevas da terra.

Por último, e o que considero mais significativo, é que o Kefir não possui apenas as cepas probióticas, mas uma grande quantidade de substâncias bioativas produzidas por meio da fermentação de diferentes substratos, o que resulta num produto que torna a luz intestinal altamente resistente a qualquer tentativa de outras bactérias patogênicas se implantarem ali.

Inclusive, dentre tais substâncias, encontram-se vitaminas essenciais para nosso organismo que os microrganismos são capazes de sintetizar.

Além disso, a  capacidade da colônia de Kefir de produzir um meio inóspito para bactérias patogênicas favorece a absorção de nutrientes que antes eram absorvidos de forma muito limitada quando o intestino tinha sua microbiota deficiente.

Estas são apenas algumas das razões pelas quais o Kefir, uma vez descoberto pelo ocidente, tornou-se a bola da vez no receituário de médicos e nutricionistas.

Leia também: KEFIR: SUPLEMENTO PROBIÓTICO EM CÁPSULAS

➜CONHEÇA NOSSOS PRODUTOS

4 comentários em “DIFERENÇA: KEFIR E OUTROS PROBIÓTICOS”

    • Bom dia, Rosemari! No Kefir de leite, os microrganismos presentes consomem a lactose. Logo, o teor da mesma fica bem baixo. Dependendo do grau da intolerância as pessoas conseguem usar. Em contrapartida, os intolerantes à lactose têm a opção de consumir o Kefir de frutas BioLogicus. Nele não há lactose.

Deixe um comentário