HPV E PROBIÓTICOS – ENTENDA A RELAÇÃO

Vamos entender a relação entre HPV e probióticos?

Quando falamos sobre infecções sexualmente transmissíveis nos deparamos com um tema tabu. Muitas pessoas preferem não debater sobre o assunto e evitam informações a respeito. Como se isso fosse fazer com que essa realidade não exista.

Pelo contrário, tal comportamento pode ser extremamente prejudicial para a prevenção e tratamento das ISTs. Este é o caso do HPV (Papilomavírus Humano), que podem provocar verrugas, coceiras, lesões. Além disso, em alguns casos mais sérios, o câncer no colo do útero, no ânus, orofaringe e boca.

A falta de conhecimento e informação a respeito apenas perpetuam a doença. Assim também, fazem com que jovens e adultos não busquem se prevenir contra elas ou se tratarem por receio e vergonha.

O QUE É E COMO PREVENIR INFECÇÕES POR HPV

O HPV é uma das ISTs mais recorrentes no mundo todo. Existem mais de 150 tipos, onde pelo menos 13 deles são cancerígenos.

Geralmente o HPV é contraído por homens e mulheres, jovens e adultos. No entanto, boa parte de sua incidência está entre os jovens logo quando perdem a virgindade.

Resultado de imagem para hpv e probióticos

Esse vírus pode ficar “adormecido” por vários anos. Além disso, boa parte dos casos podem não apresentar sintomas visíveis, apenas subclínicos. De modo que, mais de 85% dos casos de infecção por HPV podem desaparecer em até 2 anos sem, necessariamente, precisarem de tratamento.

Mas quando o vírus se manifesta os sintomas costumam surgir entre 2 a 8 meses após a infecção, necessitando, assim, intervenção médica.

Leia também: OVÁRIO POLICÍSTICO E MICROBIOTA INTESTINAL

E como se prevenir do HPV? O primeiro passo para a prevenção de infecções por HPV é a informação. Ou seja, enquanto não houver um debate e diálogos a respeito de ISTs como o HPV, mas pessoas podem acabar contraindo o vírus.

Desse modo, enquanto as pessoas verem esse tema como tabu poderá ser mais difícil prevenir e até tratar do problema. Após dito isso, há outras possibilidades de prevenção contra o vírus

A primeira delas é a mais clichê que existe: o uso do preservativo, que apesar de não ser totalmente eficiente contra o HPV. Pois, há regiões em que podem apresentar lesões do vírus que não são protegidas pela camisinha, mas é um primeiro passo.

Inclusive, o preservativo feminino consegue ser ainda mais eficiente na prevenção de HPV do que mesmo a camisinha masculina.

O outro método de prevenção contra o HPV é a vacina. Esta deve ser aplicada em duas doses tanto em meninas de 9 a 14 anos, como meninos de 11 a 14 anos.

O QUE PROBIÓTICOS TÊM A VER COM HPV?

Atualmente, muito tem-se estudado sobre a microbiota vaginal. Que é mais popularmente conhecida como flora vaginal, pois sua composição tem relação com algumas doenças, como o câncer.

Resultado de imagem para hpv e probióticos

O organismo é considerado saudável quando apresenta vários tipos de bactérias. Entretanto, na microbiota vaginal o que se espera é que não haja muita diversidade bacteriana e sim a prevalência de uma ou poucos tipos de lactobacillus.

Quando há a diminuição dos lactobacillus e o crescimento de bactérias anaeróbicas, surge o que é popularmente conhecido como vaginose bacteriana. Desse modo, os lactobacillus, se mostram como protetores contra o HPV. Por outro lado, sua ausência proporciona a permanência do vírus.

Os lactobacillus produzem ácidos láticos que conseguem manter o pH vaginal mais ácido e assim produzir uma espécie de barreira. Esta barreira irá inibir a proliferação de outras bactérias na vagina e também do HPV.

Resultado de imagem para hpv e probióticos

Se por um lado o aumento dos lactobacillus se mostram vantajosos para o controle do HPV, as mulheres com vaginose bacteriana, provocadas pela diminuição dos lactobacillus, correm mais risco de infecção pelo próprio vírus.

É nesse ínterim que os probióticos entram em ação. Os estudos sugerem que se administre de forma oral probióticos de lactobacillus para melhorar a microbiota vaginal. Dessa forma, uma barreira protetora será criada.

Sendo assim, os probióticos funcionam como uma vantajosa opção tanto para o tratamento de infecções por HPV como para a prevenção dessa infecção viral.

VISITE NOSSO SITE E CONHEÇA NOSSOS PRODUTOS!

Deixe um comentário