PREBIÓTICOS E A MICROBIOTA INTESTINAL

Você sabe qual a função dos prebióticos em nossa microbiota intestinal?

Vamos descobrir juntos?

Primeiro vamos começar com o conceito de prebióticos para facilitar o entendimento.

O QUE SÃO PREBIÓTICOS?

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) ainda não dispõe de uma legislação que os defina. Contudo, podemos encontrar algumas definições de prebióticos, tais como a do FOOD INGREDIENTS BRASIL, 2011, que diz que são componentes alimentares não-digeríveis que afetam beneficamente o hospedeiro pelo estímulo seletivo da proliferação ou atividade de populações de bactérias desejáveis no cólon.

Outra definição que podemos encontrar está na página da ANVISA, são fibras alimentares que são consumidas no intestino pelos probióticos favorecendo assim o seu crescimento e desenvolvimento no intestino.

Ou até, são substâncias que os humanos não conseguem digerir, mas que são digeridas pelas bactérias benéficas do nosso intestino.

QUAIS OS MAIS CONHECIDOS?

  • Inulina;
  • Pectina;
  • Frutooligossacarídeos (FOS).

EM QUAIS ALIMENTOS ENCONTRAR?

prebióticos

  • Kefir;
  • Frutas cítricas;
  • Aveia;
  • Banana;
  • Chicória;
  • Tomate;
  • Cebola;
  • Mel.

prebióticos

QUAIS OS BENEFÍCIOS DOS PREBIÓTICOS PARA NOSSA MICROBIOTA INTESTINAL?

Bom, a própria definição da palavra já nos mostra uma pista em relação aos seus benefícios para nossa microbiota intestinal.

Sendo assim, a definição é de que são componentes alimentares não-digeríveis que afetam beneficamente o hospedeiro pelo estímulo seletivo da proliferação ou atividade de populações de bactérias desejáveis no cólon. Adicionalmente, podem inibir a multiplicação de patógenos, garantindo benefícios adicionais à saúde do hospedeiro. Os prebióticos podem incluir féculas, fibras dietéticas, bem como outros açúcares não-absorvíveis, álcoois do açúcar e oligossacarídeos, sendo o último encontrado como componente natural de vários alimentos, como frutas, vegetais, leite e mel (FOOD INGREDIENTS BRASIL, 2011).

Os efeitos benéficos atribuídos a eles incluem o efeito bifidogênico, o aumento de absorção de cálcio, diminuição da translocação bacteriana, assim também, a diminuição do risco de câncer de cólon, efeito fibra, dentre outros. Entre os oligossacarídeos naturais, os FOS são os mais conhecidos e utilizados em alimentos, aos quais se atribuem propriedades prebióticas (FOOD INGREDIENTS BRASIL, 2011).

É importante lembrar

“O consumo de prebióticos deve ser acompanhado da ingestão de líquidos”.

Essas fibras não digeríveis, são depois “fermentadas” pelas bactérias do intestino grosso e estimulam a multiplicação das bactérias benéficas (os probióticos) para o organismo.

Por esta razão, são também conhecidos como o “alimento dos probióticos”. Sendo assim, podemos até arriscar dizer que, sem os prebióticos, os probióticos não funcionam corretamente.

Sabemos que uma microbiota intestinal equilibrada, contribui para o fortalecimento da nossa imunidade. Por isso, a ingestão de prebióticos é bastante relevante para nossa saúde se manter estável.

Leia também: MICROBIOTA INTESTINAL DANIFICADA: 10 SINAIS

Fonte de prebióticos não nos faltam. Sendo assim, que tal aumentar a ingestão desses alimentos?

Microbiota intestinal equilibrada, saúde fortalecida! Pense nisso e boca à obra!

Rainbow Fitness GIF by Feliks Tomasz Konczakowski - Find & Share on GIPHY

VISITE NOSSO SITE E CONHEÇA NOSSOS PRODUTOS!

RecebaNovidades

2 comentários em “PREBIÓTICOS E A MICROBIOTA INTESTINAL”

  1. A PREPARAÇÃO DO KEFIR, DUVIDA PORQUE VCS DISSE Q COLOCA 500ML DE LEITE COM KEFIR MISTURA E PASSA 24HS, APOS AS 24 HS COLOCA MAIS 500ML DE LEITE NO KEFIR PRONTO, ME INFORME MELHOR ESSA PREPARAÇÃO,

Deixe um comentário