PROBIÓTICOS E RENDIMENTO FÍSICO

Os probióticos garantem um excelente rendimento físico. Por isso, são tão importantes para os atletas profissionais e/ou amadores. Fato que tem sido demonstrado por vários estudos científicos.

A ingestão habitual de probióticos aumenta o número de microrganismos benéficos do intestino. Afinal, este é o maior órgão imunológico do corpo (80% das células imunocompetentes do corpo humano encontram-se na mucosa intestinal, sendo que 25% dessa mucosa é formada por tecidos e células com atividade imunológica).

O intestino é um importante órgão de nosso sistema de defesa, quando está sadio garante o aporte de nutrientes essenciais a nível intracelular. Por isso, ele é essencial na defesa do organismo contra infecções e na regulação da homeostase da mucosa.

O atleta que tem um intestino são pode se beneficiar potencialmente em seu rendimento físico.

Uma revisão realizada por Núria Mach e Dolors Fuster-Botella (2017) com respeito ao exercício de resistência e a microbiota intestinal, fornece uma visão abrangente de como a microbiota intestinal pode ter um papel fundamental no controle do estresse oxidativo e respostas inflamatórias, bem como, melhorar o metabolismo e gasto de energia durante o exercício intenso.

De acordo com as autoras, as exigências fisiológicas e bioquímicas do exercício intenso provocam respostas musculares e sistêmicas.

AS PRINCIPAIS ADAPTAÇÕES AO EXERCÍCIO DE RESISTÊNCIA INCLUEM:

  • A correção do desequilíbrio eletrolítico;
  • A diminuição no armazenamento de glicogênio;
  • O aumento do estresse oxidativo;
  • Permeabilidade intestinal;
  • Dano muscular;
  • Resposta inflamatória sistêmica.

PROBIÓTICOS E A MICROBIOTA INTESTINAL DOS ATLETAS:

A literatura revisada suporta a hipótese de que a microbiota intestinal pode ser capaz de fornecer um marcador mensurável e eficaz da função imunológica de um atleta.

Do mesmo modo que a análise da composição microbiana também pode ser sensível o suficiente para detectar estresse induzido pelo exercício e distúrbios metabólicos. Assim também, a hipótese de que modificar a microbiota através do uso de probióticos pode ser uma ferramenta importante para melhorar a saúde geral dos atletas. O desempenho e a disponibilidade de energia enquanto controla os níveis de inflamação e redox.

No trabalho de Núria Mach e Dolors Fuster-Botella (2017) pode-se observar como o microbioma  metaboliza os compostos ao mesmo tempo que auxilia na absorção dos nutrientes (Figura 1). Desta forma, polissacarídeos complexos são metabolizados pela microbiota colônica em oligossacarídeos e monossacarídeos.

Logo depois, são fermentados em produtos finais de ácidos graxos de cadeia curta (AGCCs), principalmente acetato, propionato e butirato.

Por sua vez, os AGCCs são absorvidos no cólon, onde o butirato fornece energia para as células epiteliais do mesmo. O acetato e o propionato alcançam o fígado e os órgãos periféricos, onde são substratos para a gliconeogênese e lipogênese.

Os tipos e a quantidade de AGCCs produzidos pelos microrganismos intestinais são determinados pela composição da microbiota intestinal, bem como, pelas interações metabólicas entre as espécies.

Além de serem fontes de energia, os AGCCs controlam a expressão gênica colônica envolvida na resposta imune. Dessa forma, deve-se ter em mente que as dietas de resistência são ricas em proteína (1,2-1,6 g/kg/dia). Porém, além de liberarem AGCCs benéficos, produzem uma gama de compostos potencialmente prejudiciais no intestino.

A ingestão de probióticos auxilia no rendimento físico, bem como na saúde imunológica de maneira sistemática. 

Figura 1. Modulação da microbiota durante exercício de resistência. Fonte: Núria Mach e Dolors Fuster-Botella (2017)
Figura 1. Modulação da microbiota durante exercício de resistência. Fonte: Núria Mach e Dolors Fuster-Botella (2017).

Em síntese, para um treinamento em que o organismo responda bem e com energia, é necessário tomar suplementos alimentícios adequados. Tais como aminoácidos essenciais, cálcio, ferro, magnésio, selênio, entre outros, além de vitaminas.

DICA IMPORTANTE:

O Kefir Real, disponibiliza magnésio, cálcio e vitamina D3  de maneira ímpar, pois, utiliza os microrganismos do Kefir como veículo que ajudam na absorção de tais minerais.

FIQUE LIGADO!!!

Melhorar a saúde intestinal deve ser uma das principais metas de um atleta, já que qualquer enfermidade nessa área pode prejudicar seu rendimento esportivo. Assim, se você alimentar seu corpo com probióticos eles vão te ajudar em seu rendimento físico.

O que você está esperando para consumir probióticos, ainda mais agora, sabendo desse benefício incrível no seu rendimento físico?


Referência:
Núria Mach and Dolors Fuster-Botella –Saclay. 2017. Endurance exercise and gut microbiota: A review. Journal of Sport an Health Science, Volume 5, issue 2, pages 179-197.

RecebaNovidades

Deixe um comentário