SABES A IMPORTÂNCIA DO MAGNÉSIO NO ORGANISMO?

O magnésio é de importância vital para o funcionamento perfeito do organismo. Mais de 300 enzimas diferentes dependem do magnésio para funcionar corretamente, já tendo sido detectados mais de 3750 pontes de ligação de magnésio em proteínas humanas. Isto reflete o impacto que o magnésio tem nos processos bioquímicos, muitos dos quais são críticos para uma função metabólica adequada.


Entre suas funções no organismo, destacamos:


1 – Geração de moléculas de ATP (adenosina trifosfato), as quais armazenam temporariamente a energia, liberando-a posteriormente;


2 – Relaxamento dos vasos sanguíneos;


3 – Função dos músculos e nervos, tais como a ação do músculo cardíaco;


4 – Formação adequada de ossos e dentes;


5 – Regular a sensibilidade ao açúcar no sangue e à insulina, que são importantes na prevenção da diabetes tipo 2 (num estudo, os pré-diabéticos com maior ingestão de magnésio reduziram o seu risco de açúcar no sangue e problemas metabólicos em 71%);


6 – Otimização das mitocôndrias – um enorme potencial para influenciar a sua saúde, especialmente na prevenção do câncer, assim como na energia global e no desempenho atlético.


A falta de magnésio celular pode causar a deterioração da função metabólica das células, o que por sua vez pode levar a problemas de saúde mais graves. Estes incluem enxaquecas, ansiedade e depressão (o magnésio actua como catalisador de neurotransmissores que regulam o humor, como a serotonina), fibromialgia, doença cardíaca, morte cardíaca súbita e mesmo morte por todas as causas.


De quanto magnésio precisamos?


Há um século, as pessoas obtiveram cerca de 500 miligramas (mg) de magnésio da sua dieta, graças ao solo rico em nutrientes em que os seus alimentos eram cultivados. Hoje em dia, as estimativas sugerem que só recebemos entre 150 e 300mg por dia dos nossos alimentos. Por isso, devemos optar por alimentos orgânicos não transformados, sabendo que o teor de magnésio dos alimentos dependa da riqueza de magnésio no solo em que as plantas são cultivadas. Mesmo assim, nem sempre os produtos orgânicos são capazes de garantir que serão ricos em magnésio. Os nutrientes na maioria das terras agrícolas foram severamente esgotados, e por esta razão alguns dos peritos em magnésio acreditam que praticamente todos precisam tomar o magnésio como suplemento. A dose diária recomendada (RDA) é de cerca de 310-420 mg por dia, dependendo da sua idade e sexo, embora alguns investigadores acreditem que podemos precisar de 600-900 mg/dia para uma saúde ótima.


Fatores de risco e deficiência de magnésio:


Um dos principais fatores de risco para a deficiência de magnésio é a ingestão de uma dieta baseada em alimentos processados. A razão para tal é que o magnésio se encontra no centro da molécula de clorofila. O magnésio também se perde devido ao stress, falta de sono, consumo de álcool, e uso de medicamentos prescritos (especialmente diuréticos, estatinas, fluoreto, e medicamentos contendo fluoreto, tais como antibióticos de fluoroquinolona) e tende a diminuir na presença de níveis elevados de insulina.

Infelizmente, nenhum teste laboratorial lhe dará um resultado preciso sobre o seu nível de magnésio. A razão é que a grande maioria do magnésio no seu corpo é encontrado em torno dos ossos e nos tecidos moles. Apenas 1% é encontrado no sangue. Dito isto, alguns laboratórios de especialidade fornecem um teste de contagem de glóbulos vermelhos de magnésio que lhe pode dar uma estimativa razoável. Talvez a melhor maneira de determinar o seu nível seja avaliá-lo cuidadosamente e monitorizar os seus sintomas.


Os primeiros sinais de deficiência de magnésio são cãibras (espasmos musculares ao esticar as pernas), dores de cabeça/enxaqueca, perda de apetite, náuseas e vómitos, fadiga, ou fraqueza. Estes são sinais de aviso de que provavelmente precisará melhorar a sua ingestão de magnésio. A deficiência crônica de magnésio pode causar sintomas muito mais graves, tais como ritmo cardíaco anormal e espasmos coronários, convulsões epilépticas, dormência e formigueiro, e mudanças de personalidade.


Como suprir adequadamente os níveis de magnésio para o corpo
A melhor maneira de manter níveis saudáveis de magnésio é certificar-se de que come vegetais de folhas verdes escuras em quantidade suficiente, tais como espinafre, folhas de beterraba, couve, brócolis. Outros alimentos ricos em magnésio: Grãos de cacau ou pó de cacau não adoçado, abacate, sementes (abóbora, gergelim e girassol), nozes, peixes ricos em gordura (salmão selvagem do Alasca e a cavala), abobrinha, ervas e especiarias (coentro, cebolinha, salsa, sementes de mostarda e de cominho, funcho, manjericão e cravo-da-índia), frutas (mamão, framboesa, morango, melancia), tomate.

É importante associar outros nutrientes junto com o magnésio, mantendo o equilíbrio adequado entre magnésio, cálcio, vitamina K2 e vitamina D, os quais trabalham em sinergia.
Lembre-se, a sua necessidade de magnésio pode ser aumentada por fatores como a idade avançada, stress, falta de sono, consumo de álcool, resistência à insulina e diabetes, uso de medicamentos prescritos, um microbioma intestinal desequilibrado, função renal deficiente, e outros. Se tiver algum destes factores de risco, ou se comer muitos alimentos transformados, o ideal seria reconsiderar a sua dieta e considerar tomar um suplemento de magnésio. Em alternativa, fazer sumos de vegetais, o que lhe permitirá consumir muito mais do que poderia consumir numa só sessão.

Deixe um comentário