SAÚDE DO HOMEM: ELA TAMBÉM É IMPORTANTE

Ainda existe um enorme tabu quando o assunto é saúde do homem.

Alguns especialistas partem da primícia de que eles sofrem uma forte pressão para não demonstrar fraqueza. Sendo assim, isso aumenta as chances dos homens em desenvolver doenças físicas e mentais.

Homens do mundo todo, UNI-VOS!

É preciso cuidar para viver melhor.

saúde do homem

O REFLEXO DA SOCIEDADE NA SAÚDE DO HOMEM

O paradigma masculino ainda existe. Segundo o Conselho Nacional de Secretaria de Saúde (CONASS), um estudo com mais de 6 mil adultos do sexo masculino aponta que 1/3 (31%) desse público ainda não têm o hábito de ir ao médico.

Existe uma ideia criada pela sociedade na qual o homem não pode demonstrar fraqueza. Homem não chora bem como homem não fica doente.

Essa cultura tão comum, reforça as estatísticas de que o homem vive em média sete anos menos que as mulheres.

Apesar de acreditar que os homens estão mais conscientes da necessidade de pedir ajuda, de um modo geral, a maioria ainda não cuida da própria saúde. Dessa maneira, como consequência, sofrem de males que poderiam ser evitados com atitudes preventivas.

PONTO DE VISTA PSICOLÓGICO

Segundo a psicóloga e escritora Marilene Kehdi, a maioria dos homens crescem na onipotência, achando que eles mesmos devem resolver todos os seus problemas. Assim também, acreditam que expor problemas internos é sinônimo de fraqueza. Sendo assim, menosprezam sintomas graves como os da depressão.

As palavras de ordem são:

SEJA AUTOSUFICIENTE!

NÃO FRAQUEJE!

MOSTRE PARA SOCIEDADE QUE ESTÁ BEM E QUE PRODUZ BASTANTE!

Na maioria das vezes é exatamente assim que acontece. Infelizmente!

Tudo isso causa agitação, insônia, ansiedade, bem como baixa qualidade de vida.

Para lidar com tudo isso, a maioria procura válvulas de escape, como o álcool. Outros se tornam violentos e descontam sua raiva em pessoas que consideram mais fracas.

Tudo seria atenuado, ou até mesmo se resolveria, com apenas uma atitude.

SE PREVENIR!

Quebrar esse paradigma masculino, é uma missão. Por isso, todos precisamos ajudar.

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM

O Brasil é um dos poucos países do mundo a ter um programa específico voltado para a saúde do homem, o PNAISH.

Segundo o Ministério da Saúde a Política Nacional de Atenção Integral da Saúde do Homem, tem como diretriz promover ações de saúde que contribuam significativamente para a compreensão da realidade singular masculina nos seus diversos contextos socioculturais e político-econômicos, respeitando os diferentes níveis de desenvolvimento e organização dos sistemas locais de saúde e tipos de gestão de Estados e Municípios.

Para atingir o seu objetivo geral de promover a melhoria das condições de saúde da população masculina adulta – 20 a 59 anos – do Brasil, a PNAISH é desenvolvida a partir de cinco (05) eixos temáticos.

QUAIS OS 5 EIXOS TEMÁTICOS DO PNAISH?

  • Acesso e Acolhimento: objetiva reorganizar as ações de saúde, através de uma proposta inclusiva, na qual os homens considerem os serviços de saúde também como espaços masculinos e, por sua vez, os serviços reconheçam os homens como sujeitos que necessitam de cuidados;
  • Saúde Sexual e Reprodutiva: busca sensibilizar gestores(as), profissionais de saúde bem como a população em geral para reconhecer os homens como sujeitos de direitos sexuais e reprodutivos, os envolvendo nas ações voltadas a esse fim e implementando estratégias para aproximá-los dessa temática;
  • Paternidade e Cuidado: objetiva sensibilizar gestores(as), profissionais de saúde e a população em geral sobre os benefícios do envolvimento ativo dos homens com em todas as fases da gestação e nas ações de cuidado com seus(uas) filhos(as), destacando como esta participação pode trazer saúde, bem-estar e fortalecimento de vínculos saudáveis entre crianças, homens e suas (eus) parceiras(os);
  • Doenças prevalentes na população masculina: busca fortalecer a assistência básica no cuidado à saúde dos homens, facilitando e garantindo o acesso e a qualidade da atenção necessária ao enfrentamento dos fatores de risco das doenças e dos agravos à saúde;
  • Prevenção de Violências e Acidentes: visa propor e/ou desenvolver ações que chamem atenção para a grave e contundente relação entre a população masculina e as violências (em especial a violência urbana) e acidentes, sensibilizando a população em geral e os profissionais de saúde sobre o tema.

Assim como no SUS de maneira geral, o PNAISH vem funcionando apenas no papel. Ainda há muito para se fazer.

Leia também: KEFIR – UMA ALTERNATIVA PARA UMA VIDA SAUDÁVEL

A RESPONSABILIDADE É DE TODOS NÓS

O incentivo tem que ser de todos, dos gestores dos Estados e Municípios, dos familiares ao redor, entre outros. Um passo de cada vez e vamos quebrando tabus que só nos prejudicam individual e/ou coletivamente.

Um diálogo frequente e responsável gera um resultado extraordinário. Com diálogo nós aprendemos a cuidar melhor do nosso próximo e da nossa própria saúde.

“É preciso desconstruir essa ideia de que o homem é um super herói e que não precisa ir preventivamente aos serviços de saúde. Essa ideia errônea leva os homens muitas vezes a descobrir as doenças quando já estão em estágio avançado, o que prejudica a cura”, explica o secretário de Atenção à Saúde, do Ministério da Saúde, Francisco de Assis Figueiredo.

Homens, a saúde de vocês é importante. Cuidem bem dela!

VISITE NOSSO SITE!

2 comentários em “SAÚDE DO HOMEM: ELA TAMBÉM É IMPORTANTE”

Deixe um comentário